A proposta pedagógico-tecnológica baseada no ditado de um curso de modalidade praticamente presencial e na qual são utilizados vários suportes tecnológicos que permitem ampliar a ação docente na proposta de treinamento, além dos meios tradicionais da própria turma (Barberá 2004)

Interação de ensino – interação aluno-professor – comunidade ou instituição é gerada em um contexto em que experiências de treinamento são desenvolvidas e atitudes, habilidades, habilidades, conhecimentos e conhecimentos são consolidados.

Assim, o uso da tecnologia digital amplia as possibilidades da classe em termos de, por exemplo: Busca de recursos. Interação com o professor e colegas. Preparação para exames, etc. Tornar-se uma alternativa na prática pedagógica dentro de uma ampla gama de possibilidades nas modalidades que possibilitam o uso de diferentes meios, síncronos ou assíncronos (Martin, 2009)

Essa proposta implica uma profunda reflexão em termos didáticos, tecnológicos e pedagógicos, principalmente porque a integração nos questiona sobre como devemos harmonizar e complementar de maneira racional as diferentes metodologias, técnicas, recursos, materiais, etc. que apresentaremos como formato do curso.

A semipresencialidad permite um feedback adequado entre professor-aluno e entre alunos, promovendo o trabalho colaborativo, o que reforça a capacidade de enfrentar, entender e assimilar situações reais, com a possibilidade de desenvolver respostas apropriadas em várias situações e subsequente tomada de decisão, indivíduo ou grupo para resolver situações específicas.

Envolve incorporar práticas face a face e sincrônicas (textos de conteúdo do professor) que combinam metodologias face a face e à distância. Implica uma profunda reflexão sobre a melhor estratégia para ensinar cada conteúdo em cada momento. Requer o desenho de materiais, comunicação adequada entre professores e alunos e visa incentivar o trabalho colaborativo.

Envolve interação professor-aluno e interação aluno-professor, independentemente da presença física, mas através do uso relevante das tecnologias da informação e comunicação (síncrona e assíncrona).

Definida como uma modalidade educacional baseada em ambientes de aprendizagem que transcendem o espaço e o tempo, que utiliza as tecnologias da informação e comunicação (TIC), e responde a uma política institucional.

Os processos educacionais on-line são gerados a partir de interações em espaços mediados pela tecnologia e da aplicação de um novo quadro pedagógico, onde não substituem a educação presencial, mas são apresentados com força e características próprias. A dicotomia entre educação em sala de aula e educação a distância é quebrada. García Aretio menciona em seu último livro a idéia de transição de uma educação “à distância” para uma “educação à distância”.

A aprendizagem por pares na educação on-line é uma proposta educacional projetada e traz em jogo experiências que promovem a construção social do conhecimento mediado por redes eletrônicas e, para isso, são necessárias diferentes estratégias de ensino que orientam essas interações. Implica um desenho didático que permite gerar um aprendizado consolidado pelas contribuições dos alunos orientadas por um professor mediador do processo. É uma visão integrativa e transformadora da educação, contextualizada nessa situação.